BLOCO DE MEMÓRIAS/ MEMORY PAD

                       

A memória é um mecanismo que tem sempre algo de misterioso por trás, algo que diz respeito a quem somos. Nunca completamente revelada, somos aquilo que lembramos e também aquilo que não queremos lembrar. Assim como seus habitantes, cada país também é feito de suas memórias.

 BLOCO DE MEMÓRIAS propõe uma reflexão sobre as diversas memórias que nos atravessam: a herdada pela história familiar, aquela da qual nos apropriamos e as nossas próprias.  Buscando novas memórias, transformei em pública minha memória particular: neta de imigrantes, refiz o caminho percorrido por minha família, tendo como destino, a cidade de Ullersdorf.  

 Como ponto de partida, fotografei todas as fotos do álbum de família. Fotografei as fotos de um passado que não me pertence. Memórias roubadas de um passado herdado. 

 Transformei esses registros em blocos.Memórias são blocos que armazenam informações. Transformei em frágeis blocos de folhas comestíveis, quase transparentes, onde as memórias podem ser destacadas, digeridas ou levadas.

 Quando um bloco de memórias é requisitado ele fica disponível. Assim ofereço como alimento minhas memórias roubadas.

                         

Memory is a mechanism that always has something mysterious behind it, something that concerns who we are. Never completely revealed, we are what we remember and also what we do not want to remember. Like its inhabitants, each country is also made up of its memories

MEMORY PAD proposes a reflection on the various memories that pass through us: the one inherited by family history, the one we appropriate and our own. Searching for new memories, I made my private memory public: granddaughter of immigrants, I retraced the path taken by my family, having as destination, the city of Ullersdorf.

As a starting point, I photographed all the photos in the family album. I photographed the photos of a past that does not belong to me. Stolen memories of an inherited past.

I transformed these records into pads. Memories are blocks that store information. I transformed them into  fragile eatable sheets, almost transparent , where memories can be detached, digested or carried.

When a memory block is requested, it becomes available. So I offer my stolen memories as nourishment.

Bloco de Memórias, 2015

instalação de 81 blocos com 100 fotografias cada impressas em papel de arroz

1782cm x  22cm

coleção da artista

Memories Pad, 2015
installation of 81 blocks with 100 photographs each printed on rice paper
1782cm x 22cm
artist's collection

A memória é (detalhe), 2015

Instalação de 38 cartões postais da cidade de Ullersdorf  manipulados, onde o trem retratado no postal avança pelos trilhos, enquanto, a imagem da cidade que não existe mais, desaparece.

dimensões variáveis

coleção da artista

Memory is (detail), 2015
Installation of 38 postcards from the city of Ullersdorf digitally manipulated, where the train depicted in the postcard advances along the tracks, while, the image of the city that no longer exists, disappears.
variable dimensions
artist's collection

A memória é, 2015

Instalação com uma projeção em loop do texto de José Eduardo Agualusa, extraído  do romance Vendedor de Passados.

 “A memória é uma paisagem contemplada de um comboio em movimento. São coisas que ocorrem diante de nossos olhos, sabemos que são reais, mas estão longe, não as podemos tocar. Algumas estão já tão longe, e o comboio avança tão veloz, que não temos certeza de que realmente aconteceram. Talvez as tenhamos sonhado. Já me falha a memória, dizemos, e foi apenas o céu que escureceu.”

e 38 cartões postais da cidade de Ullersdorf  manipulados.

The memory is, 2015
Installation with a loop projection of the text by José Eduardo Agualusa, extracted from the novel The Salesman of TIme Past.
 “Memory is a landscape seen from a moving train. These are things that happen before our eyes, we know they are real, but they are far away, we cannot touch them. Some are already so far away, and the train is moving so fast, that we are not sure what really happened. Perhaps we have dreamed of them. My memory already fails, we say, and it was only the sky that darkened. ”
and 38 postcards from the city of Ullersdorf digitally manipulated.